despertar das máquinas

por T. C. Soares em 1 de abril de 2013, zero comentários

Um pesquisador de Stanford chamado Drew Endy pretende revolucionar a biologia programando células como computadores.

Transistores são simples interruptores liga/desliga. Computadores são feitos de muitos milhões desses interruptores. E, para programar uma célula, você precisa de uma versão biológica. Como Endy relata esta semana na revista Science, ele conseguiu fazer uma de DNA.

Sua chave, que ele chama de “transcriptor”, é um pedaço de DNA que, usando produtos químicos chamados enzimas, pode ser chaveado para liga e desliga. Endy coloca vários desses interruptores de DNA dentro de bactérias. Então, ele poderia usar as opções para construir circuitos lógicos que programam o comportamento de cada célula. Por exemplo, ele poderia dizer para uma célula mudar de cor na presença tanto da enzima A como da B. É um programa simples: SE uma enzima A E uma enzima B [estão presentes], ENTÃO ela fica verde. Para ver mais em profundidade, confira a explicação do próprio Endy no YouTube.

(…)

Até agora, apenas os circuitos lógicos mais simples funcionam. E Endy dúvida que esses computadores de DNA algum dia superarão um smartphone. Mas esse não é o ponto.

“Estamos construindo computadores que operam em um lugar onde seu celular não vai funcionar”, diz ele.

Ciborgues cara. Imagina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *